Queda das exportações gera declínio de 82,6% na conta corrente de Angola em 2020

O resultado da conta corrente de Angola referente ao ano de 2020 foi de 893,8 milhões de dólares norte-americanos, valor inferior quando comparado aos 5.137,4 milhões de dólares registados em 2019. Em termos percentuais, a conta observou uma redução cifrada em 82,6%, avançou o Banco Nacional de Angola (BNA).

As transações económicas do país, de acordo com os dados avançados pelo Relatório da Balança de Pagamentos e Posição de Investimento Internacional do banco central, caíram por conta do resultado decorrente da queda das exportações, com realce para o petróleo bruto.

No mesmo sentido, o relatório do BNA, referente ao quarto trimestre de 2020, espelha que o resultado foi obtido mesmo depois “da contracção das despesas de importação de bens, serviços e pagamento de rendimentos”.

Além da queda face ao ano anterior, o relatório mostra que a conta corrente, no quarto trimestre de 2020, registou uma redução de 16,2% em relação ao trimestre anterior. Porém, teve um saldo superavitário na ordem de 463,7 milhões de dólares, equivalente a 3,5% do PIB.

O BNA justifica o saldo superavitário pelo bom desempenho da conta de bens no período em referência. De acordo com aquele órgão regulador, a Conta Bens é a única componente que tem gerado fluxos líquidos positivos nas relações económicas do país com o resto do mundo, sendo que a conta de serviços e rendimentos são estruturalmente deficitárias.

No período em análise, as receitas de exportação de bens, ou seja, mercadorias mantiveram a mesma dinâmica de sobrepor as despesas de importação de bens, tendo apresentado uma recuperação notável em relação ao trimestre precedente.

De acordo com as contas do banco regulador, o saldo da conta de bens passou de 2.837,9 milhões de dólares norte-americanos no terceiro trimestre para 3.140,9 milhões de dólares norte-americanos no quarto.

Comparativamente ao ano anterior, verificou-se uma significativa queda do saldo em cerca de 9.204,2 milhões de dólares, o que corresponde a uma redução de 44,7% ao passar de 20.598,5 milhões de dólares em 2019 para 11.394,4 milhões em 2020, essencialmente, como resultado da diminuição das exportações.

Os resultado foram observados num cenário de alta volatilidade do preço de petróleo bruto, provocado, segundo o BNA, por factores geopolíticos, já que o ano de 2020 foi marcado pelo impacto negativo da pandemia da Covid-19, tendo afectado a economia global e, de modo particular, o comércio internacional, com implicações ainda maiores sobre o preço do petróleo.

Jaime Tabo

Jaime Tabo

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *