UNITA condena morte de militante atingido com uma granada de gás lacrimogéneo pela PN em Benguela

O Grupo Parlamentar da UNITA repudiou e condenou, neste domingo, 12, a morte de um cidadão, de 41 anos de idade, ocorrida no último sábado, 11, em Benguela, na sequência dos graves incidentes que tiveram lugar naquela parcela do território nacional, envolvendo manifestantes afectos ao partido do ‘Galo Negro’ e efectivos da Polícia Nacional.

Eugénio Pessela, que segundo testemunhas participava de forma pacífica de uma manifestação realizada pelo Secretariado Provincial da UNITA em Benguela, foi atingido no peito com uma granada de gás lacrimogéneo, durante uma marcha em alusão à reeleição de Adalberto Costa Júnior.

Apesar de ter sido prontamente socorrido, Eugénio Pessela acabou por morrer, neste domingo. Porém, os incidentes provocaram ainda dois outros feridos cujo estado de saúde não foi revelado.

“O Grupo Parlamentar da UNITA considera inaceitável a morte de cidadãos no exercício dos seus direitos e liberdades constitucionalmente protegidos, e insta às autoridades competentes no sentido de apurarem os factos e as circunstâncias do acidente, para a consequente responsabilização criminal e disciplinar dos autores, nos termos consagrados pelo artigo 75.° da  Constituição da República de Angola”, solicitou o grupo de deputados à Assembleia Nacional afectos ao ‘Galo Negro’.

Já o responsável da UNITA em Benguela, Adriano Abel Sapiñala, lamentou, através de uma publicação no seu perfil da rede social Facebook, a morte do militante do seu partido, questionando a postura das forças de defesa e segurança: “Até quando a polícia vai continuar a encarar os outros partidos como seus concorrentes?”.

Avatar

Isto é Notícia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *