SIC e Ministério da Comunicação Social ‘abrem frente’ contra a Camunda News. Adivinha-se mais uma nova polémica

O canal e produtora de conteúdos audiovisuais para a internet Camunda News tem 48 horas para apresentar, junto da Direcção Nacional de Informação e Comunicação Institucional do Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, os documentos que fazem prova da sua “situação de legal”. A espécie de “ultimato” é do órgão que tutela o exercício da actividade de jornalismo no país.

“Para os devidos efeitos, solicita-se, no prazo de 48 horas, o envio à Direcção Nacional de Informação e Comunicação Institucional, da documentação abaixo descrita: titularidade da TV Digital Camunda News, objecto social e natureza jurídica da instituição proprietária e cópia do suporte documental que deu origem à legalização da instituição”, lê-se no documento chegado àquela instituição, horas depois de dois efectivos do Serviço de Investigação Criminal (SIC) terem abordado a mesma produtora.

Nas redes, um dos colaboradores do referido canal, Ilídio Manuel, denunciou uma alegada tentativa de intimidação por parte do SIC, após uma abordagem, sem sucesso, que os dois efectivos tentaram com o director do mesmo.

“Dois agentes do SIC estiveram hoje, 31, nas instalações da Camunda News, sem que se fizessem acompanhar de um mandato de busca ou de outro documento que justificasse a sua presença no referido local. Os efectivos da instituição policial alegaram que precisavam de abordar o proprietário da Camunda News, a quem, segundo eles, queriam fazer algumas perguntas sobre a legalidade deste canal”, escreveu o jornalista que conduz um espaço de grande entrevista no referido canal de internet.

A abordagem do SIC está a causar alguma estranheza, uma vez que se trata de uma situação administrativa. Jornalista Ilídio Manuel não percebe o porquê da presença de dois efectivos do SIC a questionarem sobre uma situação que tem que ver simplesmente com “legalidade” do canal de internet.

“Tratando-se de uma questão de natureza administrativa da esfera do supracitado ministério, a presença de agentes do SIC, para além de estranha, pode ser também entendida como uma forma de intimidação com fins escusos”, refere o jornalista, dando nota de um aspecto que pode vir a abrir outros debates, numa altura em que o novo pacote da comunicação social já prevê a regularização dos conteúdos digitais:

“Convém lembrar que a Camunda News é apenas um canal que produz conteúdos para o Facebook e YouTube, não sendo considerada uma televisão digital, ao contrário da única televisão angolana que transmite numa plataforma digital própria, sendo ela a TPA On-line, que tem estado 24 horas no seu site”, alertou o jornalista Ilídio Manuel.

Avatar

Isto É Notícia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.