Analistas da Oxford Economics Africa afirmam que inflação em Angola pode baixar para 19,9% até final do ano

Os analistas da consultora Oxford Economics Africa estimam que, até final deste ano, a taxa de inflação em Angola poderá reduzir de 25,8% para 19,9%, interrompendo a trajectória de subida dos preços de mais de seis anos, apesar da valorização do kwanza.

“Este ano haverá algum conforto para os consumidores, no seguimento da decisão de Outubro do governo de reduzir o IVA nalguns produtos essenciais de 14% para 7%, o que vai ajudar a taxa de inflação a chegar ao final do ano com uma média de 19,9%”, lê-se numa nota enviada aos clientes da consultora, citada pela Lusa.

Segundo os analistas da Oxford Economics Africa, apesar das más condições económicas e do recente fortalecimento do kwanza, “a inflação tem continuado numa trajectória crescente, principalmente devido aos efeitos da grande fraqueza da moeda nacional [kwanza] em 2019 e 2020, [fruto] do choque dos preços do petróleo originado pela pandemia da Covid-19 e pela parca intervenção do banco central”.

Entre 2019 e 2020, o kwanza perdeu mais de metade (56%) do seu valor face ao dólar, mas recuperou no ano passado mais de 15% dessas perdas, e tem estado a valorizar-se face ao dólar também no princípio deste ano.

De acordo com os dados do Fundo Monetário Internacional (FMI), este será o valor mais baixo para a inflação desde 2015, ano em que os preços subiram 9,6% em Angola.

*Com a Agência Lusa

Avatar

Isto é Notícia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.