Isto É Notícia

África do Sul. Cyril Ramaphosa considera “infeliz” alerta dos EUA sobre ataque

Partilhar conteúdo

O Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, considerou esta quinta-feira, 27, “infeliz” o aviso emitido na quarta-feira pela embaixada norte-americana sobre um possível ataque terrorista no fim-de-semana, em Joanesburgo, e garantiu que as autoridades trabalham “24 horas por dia” para conter os riscos.

Cyril Ramaphosa, que falava em Pretória, acompanhado pelo Presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, que está em visita oficial à África do Sul, criticou a embaixada dos Estados Unidos da América (EUA) por tornar público o aviso sem primeiro explicar os pormenores às autoridades sul-africanas.

Após a emissão do alerta, o contacto foi feito por iniciativa da África do Sul, segundo o chefe de Estado sul-africano, que considerou ser necessário compreender “precisamente” questões como a origem das informações que deram origem à mensagem da embaixada.

A embaixada norte-americana na África do Sul alertou na quarta-feira para possíveis ataques numa dos centros urbanos mais ricos de Joanesburgo, no próximo fim-de-semana, embora não tenha determinado o método ou o alvo.

“O governo dos EUA recebeu informações de que os terroristas podem estar a planear realizar um ataque a grandes concentrações de pessoas num local não especificado na área de Sandton, no dia 29 de Outubro 2022”, segundo o alerta emitido pela embaixada dos EUA.

A embaixada, que não forneceu mais pormenores, instou os seus trabalhadores a evitarem multidões nos próximos dias.

O líder sul-africano salientou que este tipo de aviso causa “muito pânico” entre a população, que deveria ser capaz de obter informações a partir do que o seu próprio governo lhe diz.

Neste sentido, assinalou que as agências sul-africanas estão “muito atentas” a qualquer ameaça.

Joanesburgo não sofreu grandes ataques nas últimas décadas, embora o país esteja sob a ameaça do grupo terrorista Estado Islâmico, que alertou para possíveis ataques em retaliação ao envolvimento da África do Sul em operações anti-terrorismo no norte de Moçambique.

A embaixada de Portugal em Pretória apelou na quarta-feira à comunidade portuguesa na África do Sul que adote uma “postura prudente”, depois do aviso dos EUA.

LUSA

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *