António Venâncio não desiste e continua a ver o seu futuro político no MPLA

O pré-candidato ao cadeirão máximo do partido no poder, António Venâncio, descartou, nesta terça-feira, 23, a possibilidade de vir a construir um futuro político fora do MPLA, afastando qualquer aproximação a uma força partidária ou mesmo à Frente Patriótica Unida (FPU), formada pela UNITA, Bloco Democrático (BD) e o projecto político PRA-JÁ-Servir Angola.

O político, que viu a sua pré-candidatura rejeitada pela subcomissão de candidaturas da Comissão Nacional Preparatória do VIII Congresso ordinário do MPLA, falava hoje à imprensa, durante a qual voltou a alimentar a esperança de vir a ser candidato ao próximo congresso dos ‘Camaradas’, a realizar entre os dias 9 e 12 de Dezembro próximo.

Questionado se um “fracasso definitivo” da sua candidatura poderia abrir brechas para ingressar num outro projecto político, António Venâncio rejeitou categoricamente, reforçando: “O meu futuro político está desenhado dentro do MPLA, não há qualquer hipótese de eu integrar outras forças políticas”.

O ainda aspirante à liderança do partido dos ‘Camaradas’ assegurou que vai esgotar todas as instâncias de base para ter a sua candidatura validada. “A subcomissão não é a última instância. Estamos a recorrer aos organismos e instituições do partido internamente, para que possamos passar para a segunda fase”, avançou.

O político trabalha neste momento junto dos seus assessores no sentido de conseguir avançar para uma segunda etapa, que seria a fase de campanha eleitoral, seguido da oportunidade de se apresentar no congresso, onde pretende propor uma moção alternativa para o país. Enquanto aguarda, António Venâncio diz não arredar o pé, estando nesta fase a dar tudo pela “luta jurídica”.

Na conferência de imprensa realizada nesta terça-feira, 23, que visou esclarecer o estado do seu processo de pré-candidatura, António Venâncio mostrou-se tranquilo em relação a algumas resistências que possam aparecer a nível da estrutura interna do partido.

Lembrar que o recém-reeleito primeiro-secretário do MPLA em Luanda, Bento Bento, criticou severamente a pré-candidatura de António Venâncio, atribuindo-lhe falta de “arcaboiço” para disputar um congresso para o qual não estaria em condições de se bater em pé de igualdade com João Lourenço, por ser um partidário desconhecido da massa militante e, por conseguinte, dos delegados ao congresso.

“Estamos com um caso atípico. Há camaradas que, houve eleições nos CAP [Comités de Acção do Partido], não concorreram; fizemos eleições nos distritos, não concorreram; tivemos eleições nas comunas, não apareceram, tivemos eleições nos municípios, não concorreram e nem apareceram; tivemos eleições na província e, eu próprio esperava que aparecesse mais um candidato, para irmos a voto, não apareceram. Então, não se candidata na base, não se candidata no município, não se candidata na província, ninguém te conhece, e vai já querer se candidatar no congresso?”, questionou-se Bento Bento.

Alegando não ser possível um militante “desconhecido” receber apoio para ser eleito ao cargo de presidente do MPLA, Bento Bento resumiu assim o anúncio da pré-candidatura de António Venâncio: “Há qualquer coisa que não está bem entre nós. E depois começa com aqueles truques antigos, que não podemos suportar, de que vai impugnar”.

Glaucia Miguel

Glaucia Miguel

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *