6.ª edição do Circuito Internacional de Teatro terá Luanda e Benguela como palcos de exibição

A 6.ª edição do Circuito Internacional de Teatro (CIT), cujo início está agendado para o dia 30 deste mês, vai ser assinalada com um novo itinerário. Desta vez, o festival vai decorrer nas províncias de Benguela e Luanda. A gala de abertura está marcada para esta sexta-feira, na terra das Acácias Rubras, nas instalações do Hotel Pequeno Brasil.

Sob o lema ‘Ciclo na Promoção da Diversidade Cultural e Artística’, o espetáculo visa reconhecer as potencialidades artísticas e culturais dos países convidados e divulgar o teatro angolano além-fronteiras.

Entre os dias 31 de Julho e 31 de Agosto vão acontecer, todas as sextas-feiras, sábados e domingos, espetáculos teatrais no Cine Monumental, em Benguela, com a participação de grupos das províncias de  Bié, Huíla, Huambo, Namibe, Kwanza Sul, Kuando Kubango, Cunene e Benguela.

Luanda passa a ser o centro do Circuito Internacional de Teatro apenas em Setembro. Entre os dias 1 e 15, no espaço Elinga Teatro, vão ser exibidos vários espectáculos só com os grupos teatrais da capital. Já no dia 16 do mesmo mês, ou seja, no dia a seguir à última exibição, acontece a gala de encerramento do evento, na Casa das Artes, no Talatona.

Em todas as edições, a organização do evento homenageia uma figura com base no seu contributo em prol da cultura e as artes, e de modo particular em prol do teatro. Este ano ano, a cineasta e directora da Casa das Artes, Maria João Ganga, é a contemplada.

Em Benguela, vai ser atribuído o ‘Prémio Carreira’ ao Colectivo de Artes Twayovoca, pelo seu engajamento e por ter sido responsável pela dinâmica empreendida no teatro naquela província. Outras distinções vão acontecer no acto de encerramento do evento, nomeadamente nas categorias de Melhor Actor e Actriz, Melhor Espetáculo e nos prémios institucionais ‘Ubuntu e Cena Livre’.

Em conferência de Imprensa, o director do CIT, Adérito Rodrigues, começou por destacar o apoio de parceiros como a Fundação Ubuntu e o Cena livre, por institucionalizarem dois prémios (o Prémio Ubuntu e Cena Livre).

O responsável disse ainda que se pretende estender o festival para todo o país, porém, a falta de apoio financeiro tem influenciado na não realização deste desejo. “Se tivermos financiamento, a nossa intenção é levar o circuito em todo o país e nós estamos a tentar fazer isso. O próximo ano, se tudo correr bem, com a graça de Deus, vamos conseguir” disse confiante.

Criado em 2016, com o lema ‘Levando Angola para o mundo e trazendo o mundo para Angola’, o Circuito Internacional de Teatro é uma iniciativa do Projecto Cultura para Todos, realizado anualmente desde a sua fundação. Até à presente data, já homenageou diversas figuras ligadas à arte e à cultura nacional, entre as quais se destacam: o antigo gestor do teatro Avenida, Diogo Colombo; o dramaturgo José Mena Abrantes, o director provincial da acção social, cultura e desportos, Manuel Sebastião, a pesquisadora Agnela Barros e o escritor e dramaturgo Fragata de Morais.

Irinea Lukombo

Irinea Lukombo

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *