Palasa Dance Company estreia espectáculo de dança contemporânea denominado ‘ITANDA’

 Palasa Dance Company estreia espectáculo de dança contemporânea denominado ‘ITANDA’

A Palasa Dance Company estreia neste sábado, 2 de Julho, na Casa das Artes, o espetáculo de dança contemporânea ‘ITANDA’, dirigido pela coreógrafa Aneth Silva e baseada na realidade quotidiana dos mercados informais.

O espetáculo retrata a importância social, económica e cultural dos mercados informais, trazendo à reflexão a relevância das chamadas ‘praças’ na sociedade, como um movimento de resistência social, que se tornou base para o sustento de grande parte das famílias angolanas, tendo as mulheres um papel fundamental neste processo.

“O objectivo é trazer temas que estejam e cheguem perto daquilo que é a nossa sociedade, para que as pessoas possam identificar-se e entender ainda mais o contexto daquilo que trazemos. A dança e a arte em si são uma das formas de trazer ou mostrar a realidade”, explicou a directora Aneth Silva, em entrevista ao programa ‘A Sua Manhã’, da Televisão Pública de Angola.

Encenado por nove bailarinos, ‘ITANDA’ pretende levar ao palco “as expressões, as questões de vulnerabilidade social, as dificuldades e a potência do povo que todos os dias constrói caminhos de superação, através das mais diversas formas de manifestação”.

A interpretação será feita pelos bailarinos Sara Lopes, Jéssica Pedro, Mkumba Francisco, Sandro de Carvalho, Patião Teixeira, Inês de Castro, Malik Fofana, Jeremias António e Celder Reis.

‘ITANDA’ é o plural da palavra kitanda, na língua nacional kimbundo, e significa uma pequena barraca para venda de produtos, podendo também significar praça. O espetáculo resulta de um cruzamento entre a representação e a arte de dançar.

A Palasa é uma companhia angolana de dança contemporânea independente, fundada a 4 de Fevereiro 2018, por Miguel Carlos. A Palasa (do kimbundu: esperança) nasceu da vontade de promover a dança-teatro como uma carreira sustentável em Angola, abordando temáticas sociais fortes e instigantes.

Desde a sua fundação, a companhia já formou nove bailarinos, apresentou um total de 23 sessões dos espectáculos ‘Candongueiro’ e ‘Se Esses Pés Falassem’.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.