S. Tomé. Presidente Evaristo Carvalho hospitalizado de emergência

O Presidente são-tomense, Evaristo Carvalho, foi no último sábado encaminhado de emergência para o Hospital Central Doutor Ayres de Menezes, onde foi operado a uma hérnia, disse neste domingo, 15, à Lusa uma fonte próxima do chefe de Estado. “É um problema que lhe incomodava há muito tempo”, explicou a fonte, acrescentando que “quando ele estava em Portugal, lhe disseram para operar, mas ele não quis”.

Em Setembro de 2020, Evaristo Carvalho esteve em Portugal onde realizou algumas consultas e os médicos consideram que o seu estado de saúde inspirava “cuidados inadiáveis”, tendo sido submetido a uma intervenção cirúrgica cuja natureza não foi revelada na ocasião.

“Ontem [sábado] ele começou a sentir-se bastante mal. As dores começaram a piorar, então chamaram o cirurgião que lhe disse que ele tinha que ser internado e fazer cirurgia à hérnia ainda ontem”, revelou a fonte contactada pela Lusa.

Um familiar do Presidente da República também confirmou a hospitalização do chefe de Estado, mas não avançou o motivo. A Lusa contactou a chefe do Banco de Urgência do Hospital Doutor Ayres de Menezes que disse “não ter qualquer informação oficial” sobre a entrada de Evaristo Carvalho no Hospital.

“Mesmo se não fosse caso de urgência eu deveria ser informada”, explicou à Lusa a médica que é também directora dos cuidados intensivos do maior hospital do país.

A fonte contactada pela Lusa disse que o “Presidente da República continua hospitalizado, porque ele teve uma queda de tensão e os médicos entenderam que é melhor ficar ali onde tem melhores condições para o acompanhamento”.

Segundo a fonte, o Presidente da República poderá ter alta ainda esta segunda-feira, mas continuará sob acompanhamento médico na sua residência oficial no Morro da Trindade.

O internamento de Evaristo Carvalho acorre numa altura em que se discute em São Tomé e Príncipe a possibilidade da prorrogação do seu mandato que termina a 3 de Setembro, uma vez que o seu sucessor só será conhecido a 12 do mesmo mês.

O partido Acção Democrática Independente (ADI), na oposição são-tomense, defendeu a prorrogação do mandato de Evaristo Carvalho, enquanto o Presidente do Parlamento considerou que a Constituição de São Tomé e Príncipe não prevê a prorrogação de mandato do Presidente da República, por isso Evaristo Carvalho deverá ser substituído interinamente a partir de 3 de Setembro.

Texto Agência Lusa

Avatar

Isto é Notícia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *