Isto É Notícia

País regista 85 mortes resultantes de 292 acidentes em uma semana

Partilhar conteúdo

Angola registou, nos últimos sete dias, 85 mortes resultantes de 292 acidentes nas estradas do país, com 433 feridos (entre ligeiros e graves), segundo dados avançados esta sexta-feira, 21, pela Direcção Nacional de Viação e Trânsito e Segurança Rodoviária (DNVTSR).

Em declarações à Rádio Nacional de Angola (RNA), o director do gabinete-geral da DNVTSR, intendente João de Sousa, disse que as províncias de Luanda, Huíla e Huambo lideraram o gráfico, sendo os casos de atropelamentos os mais registados.

“Em termos gerais, tivemos 292 acidentes, resultantes em 85 mortes e 433 feridos. Na sequência, tivemos a detenção de 20 automobilistas que conduziam sob efeito de álcool, bem como a apreensão de 288 automóveis e 763 motociclos”, adiantou o responsável.

De acordo com os dados anunciados, só no último fim-de-semana foram registados mais de 100 acidentes a nível das estradas do país, dos quais 47, na sexta-feira passada, resultando em sete mortes; e no sábado 55, com 23 mortes e no domingo 45, com 20 mortes.

Considerando a situação preocupante, o intendente João de Sousa informou que a Polícia de Trânsito vai reforçar a partir desta sexta-feira, 21 de Outubro, até ao próximo domingo, 23, a prevenção e segurança rodoviária, por via de operações com uso do bafómetro, radares e barreiras policiais, com vista à redução dos acidentes nas estradas, que é a segunda maior causa de mortes em Angola, a seguir à malária, segundo dados do INEMA (Instituto Nacional de Emergências Médicas de Angola).

“Já temos os materiais preparados, vamos reforçar as medidas de prevenção e segurança rodoviária, nomeadamente a fiscalização da condução sob efeito de álcool, os limites gerais de velocidade, a fiscalização da sobreposição de combustíveis nos depósitos de veículos pesados, entre outras”, assegurou o responsável, acrescentando:

“Estas medidas visam salvaguardar a integridade física e psicológica dos utentes das vias e, consequentemente, aumentar a esperança de vida da população, uma vez que as vítimas de sinistralidade rodoviária são na sua maioria jovens”.

ISTO É NOTÍCIA

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *