Isto é Notícia

Morreu o jovem que denunciou ao Fala Angola agressões físicas de que teria sido vítima por parte do SIC

Partilhar conteúdo

Um jovem de 34 anos de idade, conhecido em vida como Alberto Cambila ‘Magrelo’, perdeu a vida na madrugada desta quarta-feira, 16, como consequência de supostas agressões físicas de que foi alvo envolvendo quatro agentes do Serviço de Investigação Criminal (SIC), na passada quinta-feira, 10, no posto policial do bairro da Vila Nova, em Viana.

O jovem Magrelo, que chegou a ser acusado de ter subtraído uma ficha de jogo Angofoot no valor de 2000 kwanzas por um amigo, deslocou-se a uma casa de jogos para fazer as habituais apostas. Posto no local, a ficha de um dos amigos teria desaparecido, levando a que este último o apontasse como o presumível autor do furto.

A acusação gerou discussão entre o Alberto e o titular da ficha supostamente furtada. Na sequência, o jovem, que se queixou do furto da ficha de apostas, decidiu apresentar queixa no posto policial da Vila Nova, onde, horas depois, Alberto foi chamado a apresentar-se por um agente do SIC.

Posto no local, segundo declarações do então ofendido ao programa ‘Fala Angola’, da TV Zimbo, teria sido brutalmente espancado por quatro agentes afectos ao SIC, tendo estes usado pistola e outros objectos perfurantes durante o acto.

Em reacção à reportagem da TV Zimbo e à notícia da morte do jovem, o porta-voz da Polícia Nacional, Nestor Goubel, veio a público negar a versão apresentada pela vítima e pela família, afirmando que, à data dos factos, o jovem Magrelo apresentava ferimentos ligeiros, sem nunca ter dado a entender que tivesse sido atingido na cabeça. Logo, não foi possível determinar algo que pusesse em causa a sua integridade física.

Quanto ao facto de a vítima ter pernoitado no posto policial, alegou que o mesmo se deveu ao adiantar da hora, daí que tiveram de o manter sob custódia da polícia até ao dia seguinte.

Nestor Goubel acrescentou que, por volta das 8h00 do dia 11, notificou-se a família para que fosse à busca da vítima, por não existir participante da queixa, tendo sido os familiares aconselhados a levarem o mesmo à unidade hospitalar mais próxima, para que fossem tratados os ferimentos ligeiros.

Por outro lado, a polícia lamentou a notícia veiculada pelo programa Fala Angola, sobretudo por conta das alegações de agressões físicas que a vítima teria sofrido na Vila Nova.

Alberto Cambila era cobrador de ocupação há mais de cinco anos, e encontrava-se em estado crítico até terça-feira, 15, tendo conhecido a morte na madrugada desta quarta-feira, 16, segundo informações avançadas por um familiar à Rádio Luanda.

Isto É Notícia

Related post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *