Filipe Mukenga e Amélia Dalomba entre os vencedores do Prémio Nacional de Cultura e Artes 2021

O cantor e compositor Filipe Mukenga e a escritora Amélia Dalomba foram distinguidos com o Prémio Nacional de Cultura e Artes (PNCA) edição 2021, nas categorias de Música e Literatura. O anúncio foi feito nesta sexta-feira, 19, pela Comissão do Júri do Prémio.

O prémio, promovido pelo Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente é considerado o mais importante galardão atribuído pelo Estado angolano no sector cultural, e visa reconhecer e incentivar a criação artística, cultural e investigação artística.

Filipe Mukenga é um dos maiores nomes do panorama musical angolano, considerado o “rei do Jazz” em Angola, somando mais de 50 anos. O percursor da Nova Música Angolana, influenciou e marcou gerações e permanece como fonte de inspiração musical para os mais novos artistas.

A escritora Amélia Dalomba nasceu a 23 de Novembro de 1961, na província de Cabinda, tendo em sua colectânea livros como Ânsia (1995), Sacrossanto Refúgio (1996), Cacimbo (2000), Espigas do Sahel (2004), Noites Ditas à Chuva (2005), Sinal de Mãe nas Estrelas (2008). É membro efectivo da União dos Escritores Angolanos, órgão no qual já ocupou diversos cargos diretivos.

O júri do prémio igualmente a pintora Ana Silva, na categoria de Artes Visuais e Plásticas; Rogério Ferreira de Carvalho, na categoria de Teatro, Projecto “Benguela Street Dance”, dirigido pela coreógrafa Alda Lara; Afonso José Salgado Costa, na categoria de Cinema e Audiovisuais e a Associação Tchiweka de Documentação, na categoria de Investigação em Ciências Sociais e Humanas.

O corpo do júri do Prémio Nacional de Cultura e Artes, edição 2021 foi composto por José Octávio Serra Van-Dúnem (presidente) e Noelma d’Abreu (vice-presidente), igualmente membros do júri da categoria de Investigação em Ciências Sociais e Humanas), Abreu Paxe e António Quino (Literatura), Kiluanje Kia Henda e Paula Nascimento (Artes Visuais e Plásticas), Agnela Barros e José Teixeira (Teatro), Afonso António e Edson Macedo (Cinema e Audiovisuais), Eduardo Sambo e Mário Furtado (Música), Ana Clara Guerra Marques (Consultora para a Dança) e Adriano Mixinge (secretário do PNCA).

O Prémio Nacional de Cultura e Artes foi instituído em 2000, com o propósito de galardoar criadores nas disciplinas de Literatura, Cinema e Audiovisuais, Artes Plásticas, Artes de Espetáculos e Investigação em Ciência Humanas e Sociais. O prémio distingue também contribuições no campo do jornalismo cultural e festividades culturais populares. Na edição 2020, Rosa Roque foi galardoada na categoria da Música e João Maimona, na categoria de Literatura.

Irinea Lukombo

Irinea Lukombo

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *