União Europeia reforça segurança marítima e economia azul em Angola com 200 mil euros

A União Europeia (UE) vai financiar, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento, o reforço da segurança marítima e economia azul em Angola, com cerca de EUR 200.000 (duzentos mil euros), e a implementação de um conjunto de acções que envolvem o Ministério da Defesa de Angola e a Universidade dos Açores de Portugal. A informação foi avançada esta terça-feira,16, numa nota publicada no site da UE­-Angola.

De acordo com a referida publicação, a Delegação da União Europeia e o governo angolano vão assinar acordos de implementação de acções que congregam parceiros angolanos e europeus em iniciativas de diálogo nas áreas da segurança marítima e da economia azul.

Os acordos vão ser rubricados esta quarta-feira,17, no Hotel Trópico, em Luanda, a partir das 15h30, num evento que contará com a presença da embaixadora da União Europeia em Angola, Jeannette Seppen, de representantes dos ministérios da Economia e Planeamento e das Relações Exteriores e os parceiros envolvidos nas acções aprovadas.

Segundo a nota da delegação da UE, trata-se de uma iniciativa do programa “Facilidade de Diálogo União Europeia-Angola”, projecto financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento, no contexto do “Caminho Conjunto Angola-União Europeia”, que visa atribuir mais de 200 mil euros para apoiar a capacitação dos organismos de gestão dos recursos marinos de Angola.

“O financiamento atribuído ascende os 200 mil euros e vai apoiar a capacitação da marinha angolana, a melhoria da gestão dos recursos pelágicos do país e a gestão da pesca e sectores marítimos afins em Angola”, refere o documento.

Na nota, a União Europeia avança que as acções aprovadas visam estreitar a cooperação e o reforço do diálogo político entre as instituições angolanas e as europeias nas áreas da segurança marítima e da economia azul.

A capacitação técnica no domínio da segurança marítima, implementado pelo Ministério da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria de Angola e pelo Ministério da Defesa Nacional de Portugal e a Revisão da Avaliação das Espécies de Pequenos Pelágicos ­— levado a cabo pelo Instituto Nacional de Investigação Pesqueira e Marinha de Angola, pela Universidade dos Açores e o Departamento de Oceanografia e Pesca, de Portugal —, fazem parte do quadro de acções a serem desenvolvidas.

A Facilidade de Diálogo UE-Angola visa apoiar acções promovidas por instituições angolanas e europeias para aprofundar a troca regular de conhecimento e boas práticas nas áreas definidas pelo Acordo Caminho Conjunto Angola-União Europeia e que tenham relevância para o Programa Indicativo Nacional de Angola 2014-2020 e o Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022.

Bernardo Pires

Bernardo Pires

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *