Teddy Nsingi e amigos preparam-se para uma incursão às margens do Rio Congo com a rumba congolesa no Resort Bantu

 Teddy Nsingi e amigos preparam-se para uma incursão às margens do Rio Congo com a rumba congolesa no Resort Bantu

O exímio guitarrista Teddy Nsingi, acompanhado dos seus amigos, preparam-se para uma noite de música ao vivo, numa viagem ao estilo da rumba congolesa, recentemente elevado a património imaterial da humanidade. O evento está agendado para o próximo dia 7 de Agosto, no Resort Bantu, sito na Via Expressa.

A noite, que promete ser ímpar, trará os melhores sucessos deste género musical, com a voz e o dedilhar das cordas tradicionais frenéticas e inigualáveis do conceituado músico da velha guarda Teddy Nsingi. O músico em cartaz e seus amigos levarão a rumba congolesa em caixa alta, num claro sinal de que a música, ou estilos musicais, não têm fronteira.

De nome próprio Simão Nsingi, Teddy é tido como um virtuoso guitarrista, nascido em Abril de 1954, em Maquela do Zombo. Deu os primeiros passos nesta arte na actual República Democrática do Congo, aos 16 anos, regressando, posteriormente, ao país.

Embora tenha se revelado como guitarrista de fino tacto musical, foi no canto que Teddy começou o contacto com a música. Fanático apreciador de Tabuley Rochereau, começou a cantar com apenas 9 anos no coral da Escola Primária. Participou em vários projectos musicais, e actualmente é o guitarrista mais carismático da Banda Movimento da Rádio Nacional de Angola.

O espectáculo ‘Rumba nas margens do Rio Congo’ será uma viagem de recordar as músicas das orquestras Africa Jazz, O.K Jazz, African Fiesta e Afriza é Les Bantous de la Capitale.

A rumba congolesa tem origem numa antiga dança chamada nkumba, que significa, em kikongo, “cintura”, sendo considerada parte essencial e representativa da identidade do povo congolês e da sua diáspora, com um número expressivo no território angolano, resultante da partilha de uma fronteira comum.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.