Isto é Notícia

Rwanda. Kagame volta a defender expulsão de imigrantes ilegais do Reino Unido

Partilhar conteúdo

O Presidente de Rwanda, Paul Kagame, disse esta terça-feira, 21, que o controverso acordo com Londres para receber imigrantes ilegais deportados do Reino Unido ainda pode ser aplicado, e com outros países também, dados os “falhanços” que o sistema de asilo apresenta.

O governo britânico decidiu enviar para o Rwanda requerentes de asilo que chegaram ilegalmente ao país, alegando querer coibir travessias ilegais do canal da Mancha, mas o primeiro voo foi bloqueado a 14 de Junho por uma decisão de emergência do Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

“Considero que o acordo ainda está em vigor e pode ser aplicado”, defendeu Kagame, numa videoconferência no Fórum Económico do Qatar em Doha.

“Não somos novatos no assunto”, continuou o Presidente rwandês, recordando que o seu país acolheu mais de 100 mil refugiados durante décadas.

“A maioria dos rwandeses teve a experiência de ser refugiado em algum momento das suas vidas. Sabemos o que isso significa e estamos a fazer isso pelas razões certas”, acrescentou.

Paul Kagame mencionou designadamente a recepção de mais de 1.000 líbios em colaboração com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

“O acordo com o Reino Unido está ligado a esta experiência. Não há dúvida de que o sistema de asilo tem falhas e precisa de soluções inovadoras, e estamos felizes em contribuir para essas soluções”, disse o Presidente rwandês, acreditando que poderia ser adoptado por outros países.

Muito criticado pela ONU e organizações não-governamentais, o plano de Londres de enviar requerentes de asilo que chegaram ilegalmente ao Reino Unido para o Rwanda (a mais de 6.000 km de distância) é muito popular entre o eleitorado conservador.

O país da África Oriental recebe a cimeira da Commonwealth na sexta-feira e no sábado.

LUSA

Related post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *