Isto é Notícia

Professor que violou e matou jovem num colégio em Viana tem histórico de mais casos de abusos sexuais

Partilhar conteúdo

O professor Paciência Gamba Figueira, de 33 anos de idade — autor confesso dos crimes de abuso sexual seguido de homicídio, por asfixia, da jovem Elisa Taty Sebastião Buanga, de 19 anos, cujo cadáver foi desenterrado no quintal de um colégio em Viana — é um reincidente com um currículo marcado por outros antecedentes associados a abusos sexuais, apurou o !STO É NOTÍCIA de fonte policial.

Detido em Janeiro pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC), Paciência Figueira abusou, além da jovem Elisa cujo caso veio a resultar em óbito, pelo menos mais quatro outras jovens na zona onde reside (Viana), sem que, no entanto, os outros tivessem culminado com a morte das suas vítimas, denunciaram os vizinhos do próprio ao SIC.

“A vizinhança diz não se tratar do primeiro caso. Fala-se mesmo em mais quatro meninas, as quais foram vítimas de agressão e abuso sexual, sem mortes, e tantas outras que escaparam das mãos deste violador”, revelou ao !STO É NOTÍCIA  o director de Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do SIC/Luanda, Manuel Halaiwa.

O autor confesso dos ilícitos criminais — que já foi presente ao Ministério Público, que o aplicou como medida de coacção pessoal a prisão preventiva — está indiciado da prática dos crimes de autoria, agressão e abuso sexual, bem como homicídio qualificado.

O caso da jovem Elisa Taty Sebastião Buanga remonta a 17 de Novembro de 2021, quando a estudante, que residia no Morro Bento, conheceu Paciência Figueira através da rede social Facebook. Após troca de várias mensagens, o professor conseguiu que a jovem fosse ter consigo ao bairro Tande III, no município de Viana, onde ocorreram os factos.

Ao SIC, o professor confessou que premeditou e executou o crime sozinho, com receio de que fosse denunciado pela jovem a quem havia abusado sexualmente e cujo corpo foi encontrado enterrado no quintal do colégio Njonji Yetu, que alegou ser sua propriedade.

Após amarrá-la e abusado dela, submeteu-a a vários actos bárbaros que acabaram por resultar na morte da estudante.

Natural de Luanda e casado, Paciência Figueira foi detido no dia 26 de Janeiro do corrente ano, depois de um aturado trabalho investigativo e de inteligência criminal levado a cabo pelo SIC.

A exumação do cadáver, que já se encontrava em avançado estado de decomposição, foi realizada no dia 10 deste mês pela equipa de peritos do Laboratório de Criminalística. Para tal, tiveram de escavar um buraco de dois metros de profundidade.

O SIC/Luanda apreendeu em posse de Paciência Figueira um aparelho de telemóvel, pertença da malograda, uma pá e uma enxada, utilizados para cavar o buraco onde a jovem foi enterrada.

*Com NN

Bernardo Pires

Related post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *