Morte de Paulão “priva o futebol angolano de anos de conhecimento”

O Ministério da Juventude e Desportos reagiu esta terça-feira, 17, à morte do antigo internacional angolano pelos “Palancas Negras” Paulo Alves “Paulão”, lamentando que o futebol angolano fique privado do conhecimento e da experiência alcançados pelo atleta ao longo de toda a sua carreira. Paulão morreu na noite desta segunda-feira, 16, numa das clínicas de referência de Luanda.

“A sua partida prematura priva o futebol angolano de anos de conhecimento e experiência que granjeou ao longo da sua carreira e que partilhava nos escalões de formação do ASA, onde exercia as funções de treinador”, lê-se na nota de condolências do departamento ministerial.

O Ministério da Juventude e Desportos lembra Paulão como um “exímio futebolista”, cuja habilidade nos cruzamentos executados por este “se convertiam em brilhantes assistências para golos que fizeram vibrar os adeptos dos clubes que representou”.

“Nesta hora de dor e luto, causada por esta perda irreparável, o Ministério da Juventude e Desportos endereça à família enlutada e a todos os apreciadores da qualidade futebolística de Paulo Alves “Paulão” as mais sentidas condolências”, lê-se na nota de pesar em memória do antigo jogador do Atlético Sport Aviação (ASA), Ferroviário da Huíla, Inter do Namibe, 1.° de Maio de Benguela e o Benfica de Lisboa e Académica de Coimbra.

Fabrice Maieco “Akwá”, o seu grande parceiro de campo nos Palancas Negras, lamentou a morte do companheiro, reconhecendo-o por seu ídolo e como aquele que melhor viu jogar no país.

“Meu amigo, meu companheiro de luta e de longas jornadas. Paulo Alves, o melhor que eu vi jogar em Angola. Meu ídolo. Foi um prazer fazer a dupla contigo na seleção, assim como na Académica de Coimbra. Ainda não acredito que nos deixaste”, lamentou o ex-atacante e capitão da seleção sénior angolana de futebol.

“Vá em paz, meu amigo, que Deus Pai te receba de braços abertos. Paz à sua alma e que tenhas o merecido descanso. À família, os meus sentimentos de pesar”, escreveu Akwá na sua página da rede social Facebook.

Paulão nasceu no Namibe, a 22 de Outubro de 1969. Na sua página do Facebook, a Federação Angolana de Futebol lamenta, em comunicado, a morte de um dos futebolistas que durante aos anos 90 contribuiu para os grandes êxitos dos Palancas Negras.

Avatar

Isto é Notícia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *