Leilão invertido ajudou a poupar 803 milhões kz dos 17 mil milhões previstos para subvencionar fertilizantes

O governo angolano vai, neste mês de Outubro, disponibilizar 37 mil toneladas de fertilizantes para produtores em todo o país, depois de realizar um leilão invertido, que permitiu ao Ministério da Agricultura e Pescas  poupar 803 milhões de kwanzas dos 17 mil milhões previstos inicialmente.

A medida que visa subvencionar os fertilizantes foi aprovada a 29 de Junho deste ano, durante a VI reunião ordinária da Comissão Económica do Conselho de Ministros, e, numa primeira fase, estava prevista a alocação de 17 mil milhões de kwanzas ao Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Agrário (FADA), para realizar as operações de subvenção.

Porém, depois da realização de um concurso público, na modalidade de leilão invertido, a meio deste mês, foram escolhidas as empresas que vão fornecer 30 mil toneladas de fertilizantes composto o MPK, 5 mil toneladas de sulfato de amónio e de dois mil toneladas de ureia, resultando num investimento de 16,197 mil milhões de kwanzas.

O secretário de Estado para a Agricultura e Pecuária, João Cunha, que não avançou qualquer data, garantiu estar ainda para este mês o apoio a ser prestado aos agricultores com fertilizantes a preços bonificados, na ordem dos 35%, sendo que os demais 65% serão pagos pelos produtores, em regime de crédito.

João Cunha, que falava durante um briefing sobre o domínio da economia real, reafirmou o compromisso do governo em apoiar os produtores, quer seja através de financiamento, equipamentos para a mecanização agrícola, quer seja pela sua capacitação para o aumento da produtividade.

Por sua vez, o secretário de Estado para o Planeamento, Milton Reis, lembrou que esses apoios do governo têm dado indicação dos seus resultados, pois, segundo disse, “as contas nacionais referentes ao segundo trimestre de 2021 dão conta de um crescimento de 6,4% no sector agro-pecuário, 104,2% no das pescas, 14,5% no comércio, 80,9% nos transportes e armazenamento.

O ministério de tutela está a trabalhar com os governos provinciais, no sentido de, em conjunto, criarem as condições para acelerar a chegada desse importante insumo ao campo.

Jaime Tabo

Jaime Tabo

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *