Girabola. Sagrada Esperança é campeão nacional 15 anos depois

O Sagrada Esperança da Lunda-Norte é o novo campeão do campeonato nacional de futebol da primeira divisão, 15 anos depois da conquista do primeiro título. Num encontro envolto em polémica durante a primeira parte, os lundas foram ao intervalo já a vencer por 1-0 os tricolores comandos por Mateus Agostinho ‘Bodunha’.

Ainda na primeira parte, Tiago Azulão, avançado tricolor falhou ao minuto 41 a marcação de uma grande penalidade que levaria a formação presidida por Tomás Faria ao empate, aliás, lance este que desencadeou uma onda de protesto por parte dos jogadores do Sagrada e vandalismo nas bancadas do 11 de Novembro por parte dos seus seus adeptos.

Em função do penálti contestado pelos lundas, os jogadores e equipa técnica uniram recolherem-se ao balneário e só voltaram a fazer-se presente no relvado após a internação de Ernesto Muangala, presidente da mesa da assembleia-geral do clube e também governador da Lunda-Norte.

À imprensa, o técnico petrolífero Bodunha lamentou a forma como a sua equipa se comportou durante os 90 minutos, tendo mesmo admitido que o futebol é mesmo assim. “O desporto, o futebol em particular, tem os resultados sabidos por todos. Infelizmente, não conseguimos ganhar o nosso adversário que foi um campeão”.

Ao contrário de Bodunha, o técnico dos lundas, Roque Sapiri, foi mais feliz e disse ser “um homem de sorte”. Com o Sagrada, este é o seu segundo título. Em 2005, Sapiri conseguiu o mesmo feito nas vestes de jogador, e agora fê-lo na qualidade de treinador.

O Sagrada dedicou o título conquistado ao governador Ernesto Muangala, que se fez presente na tribuna presidencial do maior estádio do país.

O negativo do jogo foi o momento em que os adeptos lundas arrancaram alguns assentos do estádio 11 de Novembro, tendo arremessado vários objetos na pista onde se encontravam alguns efectivos dos bombeiros, agentes da ordem pública e da comunicação social.

O positivo foi a postura do governador da Lunda-Norte, que após protesto dos seus jogadores, dirigiu-se ao balneário para incentivar os jogadores a voltarem a pisar a relva do estádio.

Esta é a quinta vez que o Petro, só nas últimas cinco edições, termina como vice-campeão, tendo perdido a oportunidade de quebrar o jejum de dez anos. A última vez que os tricolores conseguiram conquistar Girabola foi em 2009, ano em que Job (capitão) chegou ao clube.

Nok Nogueira

Nok Nogueira

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *