FAF diz-se sem dinheiro para enfrentar as eliminatórias de acesso ao CAN de 2023 na Côte d’Ivoire

 FAF diz-se sem dinheiro para enfrentar as eliminatórias de acesso ao CAN de 2023 na Côte d’Ivoire

A Federação Angolana de Futebol (FAF) lançou esta semana, através do seu presidente Artur Almeida e Silva, um ‘grito de socorro’ sobre a situação financeira que ameaça comprometer a primeira dupla jornada de acesso ao Campeonato Africano das Nações 2023, a disputar na Côte d’Ivoire.

Em entrevista à Rádio Cinco, o patrão da FAF, que cumpre o seu segundo mandato à frente da instituição, admitiu que, faltando três semanas para o duplo embate, o órgão que dirige o futebol no país nem sequer tem um tostão para as despesas dos Palancas Negras, que jogam nos dias 1 e 14 de Junho.

“A FAF está a preparar da melhor maneira possível, mas continuamos com o mesmo problema de recursos financeiros. Até à presente data, não temos absolutamente nada, e não sei se não vamos anunciar uma desistência, porque não é possível trabalhar-se desta forma”, lamentou Artur Almeida e Silva, que se encontra na África do Sul.

O número 1 da FAF lembrou que a instituição que dirige tem estado a trabalho com o Ministério da Juventude e Desportos (MINJUD), considerando que a titular da pasta está empenhada a mobilizar recursos para os dois jogos.

A selecção nacional defronta, em Luanda, na jornada inaugural de apuramento ao CAN2023 a sua similar da República Centro-Africana, no estádio nacional 11 de Novembro.

“Os planos orçamentos foram já entregues há dois/três meses, mas, infelizmente, até agora não temos sinais absolutamente nenhuns (…). As pessoas já nos dizem que estamos sempre a mendigar. Nós não estamos a mendigar nada, porque é o país que está em causa. Não é o Artur Almeida, não é nenhum membro da federação, são os nossos Palancas Negras. Infelizmente, não temos dado a atenção que se devia ao futebol, esta é a pura realidade”, desabafou Artur Almeida e Silva à rádio desportiva do Grupo RNA, sem avançar números de que precisa para atender o compromisso da selecção  nacional.

Na corrida para a fase final da 34.º edição do CAN, os Palancas Negras estão no Grupo E, ao lado do Gana, Madagáscar e da já mencionada República Centro-Africana (RCA).

Angola disputou, pela última vez, uma fase final do CAN, em 2019, no Egipto, onde ocupou a terceira posição, com dois pontos, no Grupo E, atrás da Tunísia no segundo lugar, com três. A Mauritânia ficou-se no quarto posto, com dois pontos, ao passo que o Mali liderou o grupo totalizando sete pontos.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.