Isto é Notícia

Zelensky “sem palavras” após Lavrov compará-lo com Hitler

Partilhar conteúdo

Volodymyr Zelensky ficou “sem palavras” face às palavras do ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, que afirmou que o facto de o Presidente ucraniano ser judeu “não nega a presença de elementos nazis na Ucrânia”, alegando que Hitler também tinha “origens judaicas”.

“O ministro dos Negócios Estrangeiros russo abertamente e sem hesitação disse que os maiores anti-semitas estavam alegadamente entre os judeus. E que Hitler alegadamente tinha sangue judeu. Como é que isto pode ser dito perto do aniversário da vitória sob o nazismo? Estas palavras significam que o chefe da diplomacia russa está a culpar o povo judeu pelos crimes nazis. Sem palavras”, disse o chefe de Estado ucraniano, no seu discurso diário.

O Presidente ucraniano apontou que não “há quaisquer objecções ou desculpas” por parte de Moscovo após Israel ter exigido uma retratação.

“Há silêncio. Por isso, eles concordam com o que seu ministro dos Negócios Estrangeiro disse”, acusou Volodymyr Zelensky, que recordou os ataques da Rússia a memoriais relacionados com o Holocausto. “Este impulso anti-semita pelo seu ministro significa que a Rússia esqueceu todas as lições da II Guerra Mundial”, acusou.

Conjecturando que os russos podem nunca ter estudado o Holocausto, Volodymyr Zelensky questionou o embaixador israelita em Moscovo se as relações entre a Rússia e Israel “se manterão como o normal”. “Não é acidental. As palavras do ministro dos Negócios Estrangeiros, de um ‘grande conhecedor do hitlerismo’, não são acidentais.”

Além disso, o Presidente da Ucrânia denunciou os “campos de triagem” em território ucraniano em “que milhares de ucranianos se encontram”.

“Onde as nossas pessoas são mortas, torturadas e violadas. Não é coincidência que os ocupantes capturem civis e os levem enquanto reféns ou os deportem”, apontou Zelensky, que também afirmou que “não era coincidência” que as forças russas expectem uma “guerra total” para “destruir todas as coisas, depois de terem queimado ruínas de cidades inteiras”.

Sobre o ataque na cidade de Odessa, o chefe de Estado ucraniano indicou que as tropas russas lançaram um míssil, tendo “destruído um dormitório”. “Um rapaz de 14 morto foi morto. Uma jovem de 17 anos ficou ferida. Para quê? Com o quê é que essas crianças e o dormitório ameaçavam o Estado russo?”, questionou, afirmando que essa “era a maneira” de a Rússia lutar.

*Texto José Carlos Duarte/Observador

Isto É Notícia

Related post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *