Preço do pão poderá voltar a subir nos próximos dias

O preço do pão poderá voltar a registar subida no mercado nacional nos próximos dias, fruto do aumento do valor da farinha de trigo no mercado internacional, na sequência do conflito entre a Rússia e a Ucrânia, dois dos maiores produtores de trigo do mundo.

A alerta foi feita no início desta semana pelo presidente da Associação das Indústrias Panificadoras de Angola, Gilberto Simão, em declarações à Rádio Nacional de Angola.

Segundo o responsável, para além da subida dos preços poderá haver uma redução no tamanho dos pães, para permitir que as panificadoras não registem avultados prejuízos, uma vez que se vão registando aumentos também noutros ingredientes indispensáveis à produção do pão.

“Em outros países, o preço do pão já está a subir, e aqui [em Angola] não vai fugir à regra. Vai haver, de certeza, carência de trigo, como já está a registar-se em alguns países da Europa e não só, porque os dois maiores produtores do cereal estão em guerra. A subida do preço é inevitável”, afirmou o Gilberto Simão.

Para mitigar o período de carência do produto que se avizinha, cujos efeitos podem ser “devastadores para o mercado nacional que depende das importações de farinha de trigo”, Gilberto Simão aconselhou a realização urgente de uma reunião entre o governo e as associações panificadoras, no sentido de se definirem estratégias.

“Esta situação vai prejudicar muito mais o produtor nacional, aliás, a produção de pão aqui em Angola está em mais de 80% nas mãos dos estrangeiros. Eles é que têm as fontes de abastecimento do trigo sem qualquer problema. Nós os nacionais vamos continuar a ser os mais prejudicados”, alertou.

O governo gasta anualmente perto de 300 milhões de dólares norte-americanos com a importação de farinha de trigo. Para mitigar os efeitos desta crise de oferta do produto e melhorar a oferta interna, o produtor aponta a produção nacional como alternativa.

“Com esta situação, podemos aproveitar. Dez por cento do que o Estado gasta com as importações equivale a qualquer coisa perto de 30 milhões. Este valor pode ser investido na produção interna e obrigar os importadores a trabalharem directamente com os produtores nacionais. É uma oportunidade desafiadora para Angola sair da grande dependência das importações”, defendeu o empresário.

Desde o início da guerra entre a Rússia e a Ucrânia, o preço da farinha de trigo no mercado internacional subiu perto de 29%, estando nesta altura a ser negociado acima dos 1.182 dólares norte-americano por toneladas.

As duas nações juntas produzem 14% do trigo global e fornecem 29% de todas as exportações de trigo e outros cereais.

Avatar

Isto é Notícia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.