Isto É Notícia

Pepetela é ‘Doutor Honoris Causa’ pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Partilhar conteúdo

O escritor angolano Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos ‘Pepetela’, recebeu, na última semana, o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, no Brasil, numa cerimónia presidida pela reitora e vice-reitor da universidade, professora Denise Pires de Carvalho e o professor Carlos Frederico Leão Rocha.

Com mais de 25 livros publicados, Pepetela é um dos escritores angolanos contemporâneos mais estudados nas universidades brasileiras por meio de teses e dissertações sobre seu legado. Além disso, os seus livros foram editados em vários países de língua portuguesa e traduzidos para diversas línguas.

O também professor se tem destacado e exercido grande influência na literatura e na política, com a produção de uma série de artigos sobre a sociedade e política angolana, bem como participado das mais importantes organizações culturais do país e de diversos eventos na Universidade Federal do Rio de Janeiro, em especial, no Instituto de História e na Faculdade de Letras.

Doutor Honoris Causa é o título mais importante concedido pela Universidade, aprovado por unanimidade em sessão solene do Conselho Universitário. O título é normalmente atribuído a personalidades proeminentes, nacional ou estrangeira, que tenha se destacado singularmente por sua contribuição à cultura, à educação ou à humanidade.

Pepetela conquistou diversos prémios, incluindo o Camões (1997), Prémio Internacional da Associação dos Escritores Galegos (2007), Grau de Doutor Honoris Causa pela Universidade do Algarve, Portugal (2010), Prémio Fonlon-Nichols Award da Associação Africana de Literatura (2015), Prémio Correntes de Escrita (2020), entre outros.

Pepetela nasceu em Benguela, a 29 de Outubro de 1941. Fez os seus estudos primários e secundários em Benguela e no Lubango. Em 1958, mudou-se para Lisboa, onde frequentou o Instituto Superior Técnico e onde iniciou a sua actividade política e literária.

Em 1962, saiu de Portugal com destino a Paris, França, onde passou seis meses. Posteriormente, seguiu para a Argélia, onde se formou em sociologia, vindo a trabalhar na representação do MPLA e no centro de Estudos Angolanos, que ajudou a criar.

Regressou a Angola e participou directamente da Luta Armada como guerrilheiro e como responsável pelo sector da educação, de 1969 a 1974. Foi nesse contexto de guerra que ele adoptou o nome ‘Pepetela’, que na língua umbundu significa pestana, nome que passou a usar como pseudónimo literário.

ISTO É NOTÍCIA

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *