No Cunene, três membros da mesma família morrem após explosão de uma mina anti-tanque

Três membros da mesma família, que se encontravam a cultivar numa lavra, morreram, no domingo, 20, em consequência da explosão de uma mina anti-tanque, ocorrida na sede comunal do Môngua, no município do Cuanhama, na província do Cunene.

A informação foi avançada, esta segunda-feira, 21, pelo coordenador da referida comuna, Nicolau Mwesipewa, quando explicava as circunstâncias da ocorrência à Radio Nacional de Angola (RNA).

“Infelizmente, ontem [domingo] uma família estava a trabalhar na sua lavra e com uma enxada bateram na parte de cima da mina e aquilo explodiu. Elas ficaram irreconhecíveis, até nem dava para ver, é lamentável”, contou o responsável comunal à estação radiofónica.

Daniel José, um técnico do Instituto Nacional de Desminagem (INAD), lamentou o sucedido e queixou-se da falta de meios para a desactivação das minas, sobretudo anti-tanques, existentes na zona do Môngua.

O técnico de desminagem revelou que na referida localidade existe um corredor de minas ainda não detonadas, e repudiou a insistência da população em fazer o cultivo naqueles campos de Môngua, já que tem havido campanhas de sensibilização no sentido de impedir problemas relacionados com explosões.

As desativações destas minas constam dos planos do governo central, de acordo com as explicações avançadas com o técnico de desminagem.

Avatar

Isto é Notícia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.