Nível de desemprego em Angola aumenta 7,9% no IIIº trimestre

O Índice de Desemprego em todo o território nacional aumentou 7,9% e a Taxa de Emprego reduziu 2%, no terceiro trimestre deste ano, segundo dados avançados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com uma nota do INE, tornada pública na última sexta-feira, 19, nos meses de Julho, Agosto e Setembro, o nível de emprego apresentou uma variação decrescente em cerca de 2,0% face ao segundo trimestre, ao passo que o desemprego registou um crescimento de 7,9% face ao período anterior.

No documento, o INE demostra que no período em apreciação, se comparado ao terceiro trimestre de 2020, regista um crescimento de 1,3% para o emprego e de 0,4% para o desemprego.

“O crescimento simultâneo do emprego e do desemprego explica-se pela base de cálculo deste inquérito feito às famílias, sendo que a população economicamente activa subiu 5,5%, passando de 15,3 milhões para 16,1 milhões entre o terceiro trimestre de 2020 e o terceiro trimestre de 2021”, lê-se no documento.

Os resultados do inquérito realizado pelo INE “revelam um aumento de 3,1% na força de trabalho (490.132 pessoas), estimada em 16.165.528 pessoas disponíveis para o mercado de trabalho, representando uma taxa de actividade de 91,8%, valor inferior em 1,6 pontos percentuais, face aos resultados do segundo trimestre de 2021 (90,2%)”, aponta o comunicado.

“A população empregada foi estimada em 10,6 milhões de pessoas, diminuindo em 0,6%, e a taxa de emprego situou-se em 60,5%, diminuindo em 1,2 pontos percentuais, face ao trimestre anterior (61,7%)”, pode ler-se no documento do INE.

Segundo o referido relatório, mais de metade da população angolana empregada (54,2%) trabalha no sector primário, composto pelas áreas da agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca, sendo que o emprego por conta própria continua a absorver a maioria da população empregada, quase um em cada três.

De Abril a Junho do ano em curso, o número de pessoas desempregadas registou um aumento de 4,6% em comparação com ao I trimestre. Em termos numéricos, mais de 216.142 angolanos foram para o desemprego, elevando a taxa de desemprego para 31,6%.

Bernardo Pires

Bernardo Pires

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *