Isto é Notícia

Mussunda Nzombo ‘revela’ como seria Angola em 2075 na mostra ‘Entidades e Identidades entrecruzadas’

Partilhar conteúdo

O artista Mussunda Nzombo faz uma viagem ao futuro e revela como seria Angola daqui a 53 anos, numa exposição de artes intitulada ‘Entidades e Identidades Entrecruzadas’, com a curadoria de Tila Lukunzi. A amostra será inaugurada nesta quinta-feira, 19, no espaço Oito em Ponto, sito na Rua Major Kanhagulo n.º 208, em Luanda.

Mussunda Nzombo representa, “através da fotografia performativa e performance ao vivo, o imaginário identitário de quatro personagens distintas, ao longo dos 12 meses do ano do centésimo aniversário da independência de Angola num futuro distante, em narrativas visionadas por 12 artistas e fotógrafos”.

O projecto de foto-calendário, exposição e performance, reúne 12 retratos fotografados pelos artistas Lee Bogotá, Bruno Fonseca, Indira Mateta, Flávio Cardoso, Hélio Buite, Dralton Máquina, Osmar Edgar, Artur da Silva, Ibaku, Mwana Pwo, Rui Magalhães e Kiluanji Kia Henda.

“No auge do centésimo aniversário da ‘dipanda’, da consolidação nacional e da apresentação ao mundo como uma nação multicultural que tem como lema “um só povo uma só nação”, como seria Angola no ano 2075, 100 anos depois da independência? Como serão os nossos descendentes?”, são questões levantadas pelo artista e em torno destes e outros questionamentos decorre o projecto de foto-calendário, exposição e performance de “Entidades e Identidades Entrecruzadas”.

Mussunda N´zombo nasceu a 25 de Março de 1973, em Luanda. É formado em relações internacionais. Mas, entra no mundo artístico a partir da dança coreográfica em meados dos anos 80, acompanhado pela moda. Em 1990, emigra para Portugal e posteriormente para França, e depois de algum tempo acaba por fixar-se na Alemanha por cerca de 20 anos.

É neste circuito artístico-cultural frenético que nasceu Miguel Prince, pseudónimo de Mussunda Nzombo. Com a sua chegada à sua terra natal, passou a colaborar em diversos projectos, com vários artistas angolanos, entre os quais Kiluanji Kia Henda, Yonamine, Thó Simões, Angel Yhosnanni, Paulo Azevedo, Mwamby Wasssaky, Luís Damião e Dom Ruelas.

Irinea Lukombo

Related post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *