Isto é Notícia

‘Milícias digitais’ clonam cartaz com os contactos telefónicos do MUDEI para envio das cópias de actas-síntese

Partilhar conteúdo

O Movimento Cívico MUDEI, uma plataforma que congrega várias organizações da sociedade civil angolana e figuras individuais, viu, esta semana, a pouco menos de 48 horas da realização das eleições gerais de 24 de Agosto, uma das suas publicações nas redes sociais a ser ‘clonada’ por ‘milícias digitais’ não identificadas, tendo os autores da ‘façanha’ alterado todos os contactos disponíveis para toda e qualquer denúncia sobre o processo eleitoral angolano.

O cartaz, um dos muitos que o MUDEI tem produzido — a fim de mobilizar o maior número de esforços e forças para o ‘controlo serrado’ do processo eleitoral —, foi produzido com o intuito de estabelecer uma ponte com todas as províncias do país, contendo no cartaz todos os contactos telefónicos para os quais os cidadãos eleitores devem enviar as denúncias e outros assuntos relacionados com as eleições em Angola — sobretudo as actas-síntese de cada uma das assembleias de voto, que permitirá ao referido movimento proceder à contagem paralela dos votos, bem como também todos aqueles elementos que ameacem a sua lisura e transparência.

As primeiras manifestações de estranheza em relação ao facto começaram a surgir nos grupos onde a plataforma cívica mantém uma interacção permanente com todos os cidadãos interessados no processo de monitorização eleitoral que o MUDEI tem levado a cabo desde 2021.

As reclamações eram as de que havia um “erro grosseiro no cartaz”, uma vez que os números nele constantes não correspondiam minimamente àquele que foi disponibilizado por cada uma das províncias.

Da análise atenta da situação à constatação do que se estava a passar de facto, levou-se algumas horas até se perceberem de que estavam diante de um embuste, uma vez que um outro poster, com as mesmíssimas característics, estava também a circular na internet, só que com os números de telemóvel completamente adulterados.

Para minimizar a grave situação, o MUDEI foi obrigado a fazer uma nova postagem do cartaz correcto, ladeado do falso.

O MUDEI tem trabalhado, desde Fevereiro deste ano, com o projecto Jiku, uma iniciativa de monitoria eleitoral cidadã que, em 2022, está sob a alçada do Movimento Cívico Mudei.

A génese do projecto reside numa experiência de monitoria promovida em 2012, por um grupo de jovens da sociedade civil que, com parcos recursos, mas movidos por uma enorme força de vontade, puseram a funcionar um sistema interactivo, engajando.

De Fevereiro a Agosto deste ano, o MUDEI realizou sete inquéritos de intenção de voto, tendo coberto 100 d0s 164 municípios do país.

O projecto MUDEI é uma iniciativa da ONG Handeka, em colaboração com outras organizações da sociedade civil angolana, sem fins lucrativos.

Isto É Notícia

Related post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *