Isto é Notícia

Menino angolano no Brasil foge do seio familiar com receio de regressar ao país

Partilhar conteúdo

Um menino angolano de 13 anos de idade, residente temporariamente no Brasil, desapareceu do seio familiar, após ter sido informado pelo pai do seu regresso a Angola. O menor foi encontrado ao fim de 22 dois dias pela Polícia Militar (PM) do estado de São Paulo, reportou a TV Record.

Maio Nzamanudia, o pai do menino Benvindo, levou o filho ao Brasil numa época em que se deu o agravamento da pandemia, o que o obrigou a ficar hospedado em casa de um dos seus filhos.

Num dia normal, após sair de uma partida de futebol com os amigos, o pai informou ao filho que teriam de regressar a Angola. A informação chocou o menor que sonha ser jogador futebol no Brasil. Benvindo recusou-se aceitar a decisão do pai e desapareceu de casa no dia seguinte, a 4 de Janeiro de 2022.

O caso foi reportado pela imprensa brasileira poucos dias depois através de depoimentos de familiares do menor. Após precisos 22 dias, o menino foi reconhecido pela Polícia Militar brasileira (PM), no dia 25 de Janeiro, enquanto dormia de baixo de uma ponte, na zona leste da cidade de São Paulo.

O irmão mais velho de Benvindo, Benjamim Nzamanudia, residente no Brasil há vários anos, comovido com o episódio do irmão mais novo, decidiu ficar com a guarda do menino em solo brasileiro, garantindo-lhe a cobertura dos custos com a escola de futebol, assim como o ensino académico. Porém, esta acção altruísta terá ainda de aguardar por diligências na justiça brasileira.

Após a PM de São Paulo ter achado o menino, Benvindo foi levado para um lar de acolhimento para crianças, onde se encontra a morar temporariamente, e sob a guarda do Estado brasileiro, que impede o pai de trazer o filho para Angola, uma vez que ainda não se cumpriram certos critérios exigidos pala polícia local.

De acordo com os familiares, Benvindo, antes de ter saído de casa, deixou uma carta a manuscrito com os versos de um tema musical intitulado Meu Sonho, da Banda Universos:

“Longe de mais para chegar

Alto de mais para alcançar

Dizem que não posso ter,

que preciso esquecer

Desistir de uma vez não, não

Não vou deixar de sonhar

O que sempre sonhei

Não vou me esquecer de lutar

De tentar de novo, eu já deixei este sonho

Fazer parte do meu ser…”

 

*Com TV Record

Bernardo Pires

Related post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *