Hélder Pitta Grós abre a porta a um possível mandado de captura internacional contra Isabel dos Santos

A empresária angolana Isabel dos Santos corre o risco de vir a ser alvo de um mandado de captura internacional por parte da justiça angolana, por se ter negado a ser ouvida em interrogatório nos Países Baixos (Holanda), no âmbito das investigações relacionadas com o caso ‘Luanda Leaks’.

A informação foi avançada pela SIC, que cita declarações do procurador-geral da República (PGR), Hélder Pitta Grós, à estação televisiva portuguesa.

Isabel dos Santos, que nos últimos dias esteve na Holanda, deveria ser ouvida em sede do seu alegado envolvimento em dois processos cíveis e quatro processos-crime, por suposto desvio de cinco mil milhões de dólares dos cofres do Estado angolano.

À SIC, Hélder Pitta Grós admitiu que a emissão de um mandado de captura internacional é possível, ao contrário do que alega o advogado de defesa da empresária angolana.

O PGR angolano explicou à SIC que a justiça angolana tenta ouvir as explicações de Isabel dos Santos há uns anos, revelando que ainda “há pouco tempo estiveram bem próximo da suspeita, mas sem sucesso”. Porém, Hélder Pitta Grós não esclareceu as circunstâncias que teriam levado Isabel dos Santos aos Países Baixos.

O que se sabe, entretanto, é que é na Holanda onde estavam sediadas várias sociedades de Isabel dos Santos e do seu falecido marido, Sindika Dokolo, e onde também correm vários processos judiciais relacionados com o mesmo caso, o ‘Luanda Leaks’.

Sobre um possível “entendimento” com a empresária ou com a defesa da mesma, Helder Pitta Grós garantiu à SIC que “não há conversações à vista”, tal como os advogados de Isabel vêm reclamando há muito.

A estação televisiva portuguesa adianta ainda que, em Luanda, nada está a ser posto de parte até agora, inclusive a possibilidade de emissão de um mandado de captura internacional já é visto como uma forte certeza, para que Isabel dos Santos possa ser interrogada sobre o caso.

No ano passado, a possibilidade de emissão de um mandado internacional contra a empresária foi recebida com algum desdém por um dos advogados da empresária angolana. Entretanto, quando questionado pela SIC acerca desse desdém manifestado pelo advogado de Isabel dos Santos, Hélder Pitta Grós limitou-se a dizer que não respondia a provocações.

O caso ‘Luanda Leaks’

Isabel dos Santos e o falecido marido são acusados de engendrarem esquemas financeiros para desviar dinheiro do Estado angolano. O Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação (ICIJ) revelou transacções suspeitas, incluindo um alegado desvio de 90 milhões de euros da Sonangol.

O ICIJ baseou a investigação “Luanda Leaks” em 715 mil documentos. Contudo, Isabel dos Santos e Sindika Dokolo negaram qualquer envolvimento no caso, afirmando que os documentos revelados eram “falsos”. A empresária e o marido diziam-se ser alvos de um “ataque político” por parte do governo angolano.

*Com a SIC/DW

Avatar

Isto É Notícia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.