Isto É Notícia

França. François Hollande considera que “a situação do país é grave”

Partilhar conteúdo

François Hollande alertou hoje que “a situação em França é grave”, dada a possibilidade de a extrema-direita chegar ao poder e apoiou a ideia de uma aliança dos outros partidos para governar, se não houver maioria no domingo.

O ex-Presidente francês, entre 2012 e 2017, em declarações ao canal público France 2, defendeu a proposta com o argumento de que “faz falta responsabilidade”, porque “o país não pode parar”.

Na sua opinião, “tem de haver uma solução de compromisso, pelo menos durante um ano”, uma vez que, depois da segunda volta das eleições legislativas, no próximo domingo, não pode haver novas eleições legislativas durante um ano, por determinação constitucional.

Hollande admitiu que os programas que dividem o espectro político dos conservadores aos comunistas são muito diferentes, mas insistiu em que “há que governar o país”.

No caso concreto das várias formações de esquerda, Hollande considerou que “faz falta que a esquerda seja uma solução e não apenas uma barreira” à extrema-direita.

“A situação em França é grave. O mundo olha para nós. A Europa inquieta-se”, avançou.

Hollande mostrou-se também muito crítico da decisão do Presidente Emmanuel Macron de convocar estas eleições, depois da derrota que sofreu nas eleições europeias, de 9 de Junho.

“Não estou certo de que [a decisão de Macron] tenha sido produto de uma estratégia. Parece antes que se tratou de um impulso, extremamente negativo para o país”, acrescentou.

Hollande, que não se recandidatou a um segundo mandato, em 2017, regressou agora à política activa com estas eleições e venceu a primeira volta na sua circunscrição de Corrèze.

LUSA

Artigos Relacionados