Triplo assassinato. Autores confessos indiciados nos crimes de homicídio qualificado, associação criminosa e roubo qualificado

Os suspeitos do triplo homicídio que vitimou, no passado dia 24 de Maio do corrente ano, três membros da mesma família, raptados no Condomínio Vereda das Flores, no município de Viana, e cujos corpos foram encontrados dentro de uma viatura abandonada nas imediações do edifício X15, na Centralidade do Kilamba, foram indiciados nos crimes de homicídio qualificado, associação criminosa e roubo qualificado.

A informação foi avançada a este jornal pelo porta-voz da Procuradoria-Geral da República (PGR), Álvaro João, que confirmou o andamento da fase de instrução preparatória do processo, que passa pela recolha de provas dos crimes de que são suspeitos e são agora indiciados.

Enquanto não são pronunciados por um juiz de acusação, os suspeitos devem manter-se em prisão preventiva por pelo menos dois meses, podendo este prazo ser prorrogado por mais dois meses, caso haja necessidade.

O porta-voz adiantou que “a recolha de provas deve ser concluída antes do prazo remetido em tribunal, para que no tempo útil possam ser inseridos em juízo e posteriormente serem julgados”.

Por seu turno, o director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Serviço de Investigação Criminal (SIC), Manuel Halaiwa, assegurou a este jornal que as investigações estão a decorrer a um ritmo normal, visando a busca de mais elementos que ajudem a esclarecer a forma como foi o triplo homicídio cometido, e consequentemente “desvendar todos os meandros desta acção criminosa”.

“Estão neste momento a ser ouvidos os acusados, e chamadas outras pessoas para também prestarem declarações”, informou o responsável pelo gabinete de comunicação do SIC.

No dia 25 de Maio, os cadáveres de um homem de 51 anos, do seu  filho Anderson Júnior, de 14 anos, e o sobrinho, Delvany Manuel, de 9 anos, foram encontrados no porta-bagagens de um carro, na centralidade do Kilamba, após familiares das vítimas reportarem o seu desaparecimento há quase uma semana.

A necropsia médico-legal efectuada aos três cadáveres confirmaram sinais característicos de asfixia mecânica e lesões internas na cabeça dos cidadãos Kamukotele e do menor Delvany, provocados por objecto contundente.

Na sequência, foram detidos os indivíduos Wander, solteiro, técnico de informática, enteado de Kamukotele Anderson, residente na Centralidade do Kilamba, e Ludy, solteiro, desempregado, residente no Bairro Prenda. Com os suspeitos, foi apreendido o telemóvel que pertencia a Anderson Kamukotele.

O motivo do crime, de acordo com o SIC, foi a tentativa de roubo, “por via do cartão multicaixa, do montante de cerca de 500 mil dólares norte-americanos que Kamukotele detinha na sua conta bancária.

Gabriela Vaia

Gabriela Vaia

Artigos Relacionados