Isto É Notícia

Despesa emergencial anunciada por João Lourenço após visita ao novo Aeroporto Internacional de Luanda avaliada em 135 milhões USD

Partilhar conteúdo

Os trabalhos emergenciais de segregação do corredor ferroviário do Caminho-de-Ferro de Luanda (CFL), assim como o contrato de elaboração dos projectos e a coordenação e gestão da referida obra — anunciados pelo chefe de governo, na semana passada, após visita ao novo aeroporto internacional —, vão custar aos cofres do Estado um total de 135 milhões de dólares norte-americanos.

Tal como anunciado na semana passada, na sequência da visita de comboio que efectuou ao Aeroporto Internacional Dr.º António Agostinho Neto, a partir da estação ferroviária do Bungo, o governo vai investir na concepção de projectos que visam solucionar os constrangimentos existentes no corredor ferroviário do Caminho de Ferro de Luanda (CFL).

Através do Despacho Presidencial n.º 127/24, de 7 de Junho, o Presidente João Lourenço aprovou três despesas emergenciais, subdivididas em tarefas distintas:

A primeira, no valor de 125,4 milhões USD, para dar sustento ao contrato de empreitada para a segregação do corredor ferroviário do CFL; a segunda, avaliada em USD 5 000 000,00 (cinco milhões de dólares norte-americanos), vai dar sustento ao contrato de elaboração dos projectos, coordenação e gestão da obra; e a terceira, no valor de USD4,3 milhões (quatro milhões e três mil dólares norte-americanos), para o serviço de fiscalização.

O titular do Poder Executivo, que esteve na quarta-feira passado no novo aeroporto da capital do país, não gostou do que viu e convocou de urgência, naquele mesmo dia, no Palácio Presidencial, uma reunião emergencial para definir políticas de respostas aos obstáculos presentes naquela infra-estrutura.

No final do encontro, os serviços da Presidência avançaram à imprensa que o chefe do governo havia mantido um encontro com os responsáveis de diferentes departamentos ministeriais e outras entidades ligadas ao processo, dando nota de que havia sido exarado um despacho para atender os trabalhos emergenciais no CFL.

Com a aprovação e publicação do Despacho Presidencial n.º 127/24, de 7 de Junho, que aprova a despesa da empreitada, fica revogado o Despacho Presidencial n.° 30/24, de 23 de Janeiro, que autorizava a abertura do procedimento de Concurso Limitado por Prévia Qualificação, para a celebração dos empreitada de obras públicas, de elaboração dos projectos, coordenação e gestão da empreitada, e de serviços de fiscalização da empreitada para a segregação do Corredor Ferroviário do Caminho-de-Ferro, no Troço Bungo/Aeroporto Internacional Dr.º António Agostinho Neto.

Através do despacho ora publicado em Diário da República, o Presidente da República delegou competências ao ministro dos Transportes, com a faculdade de subdelegar, para aprovar as peças do procedimento, bem como para a verificação da validade e legalidade de todos os actos praticados no âmbito do referido procedimento, incluindo a adjudicação do contrato.

ISTO É NOTÍCIA

Artigos Relacionados