Crédito à economia real ultrapassou 1,70 bilião de kwanzas em 2021

O sector bancário desembolsou em 2021 um total de 374 créditos ao sector real da economia, no âmbito do Aviso n.º 10/2020, resultando em um total de 1,72 bilião de kwanzas, espelha o relatório anual e contas do Banco Nacional de Angola (BNA).

Em termos de valor financeiro, de acordo com o documento, o crédito desembolsado pelos bancos comerciais totalizou 472,62 mil milhões de kwanzas, representando 265,98% do limite mínimo a conceder estabelecido, o que corresponde 27,51% do total de novos créditos concedidos (1,72 bilião de kwanzas), durante o período de vigência do normativo.

Dentre os sectores mais beneficiados, em termos de montante concedidos, constam os da ‘indústria alimentar’, com 171,81 mil milhões kz (36,49%); da ‘agricultura, produção animal, caça e actividades dos serviços relacionados’, com 96,10 mil milhões de kwanzas (20,41%) e ‘indústria de bebidas’ com 78,67 mil milhões de kwanzas (16,71%). Em termos globais, estes sectores representam cerca de 73,61% do saldo total desembolsado até final de 2021.

No diz respeito ao número de projectos financiados, o sector de ‘agricultura, produção animal, caça e actividades dos serviços relacionados’, com uma representatividade de 39,04%, foi o mais beneficiado.

A nível das empresas, destacam-se as de grande dimensão com 227,65 mil milhões de kwanzas desembolsados (48,35%), seguidas das médias empresas com 214,77 mil milhões kz (45,61%) e as micro e pequenas empresas com 14,47 mil milhões kz (3,07%) e 13,96 mil milhões de kwanzas (2,97%), respectivamente, desde a entrada em vigor do Aviso n.º 10/2020, de 3 de Abril.

Já em termos de número de projectos aprovados e financiados, realça-se as médias empresas com 149 projectos (39,95%), seguida das pequenas empresas com 115 (30,83%) e das micro e grandes empresas com 66 projectos (17,69%) e 43 projectos (11,53%), respectivamente.

Os projectos financiados ao abrigo do Aviso nº 10/2020 encontravam-se concentrados sobretudo em Luanda, com uma representatividade de 40,91% do total e possibilitaram a criação de um total de 29.539 novos postos de trabalho, com destaque para os sectores da “indústria de bebidas”, “indústria alimentar” e “agricultura”, responsáveis por cerca de 72% dos novos postos de trabalho.

Assim, segundo o relatório, fruto dos resultados obtidos durante a vigência do Aviso n.º 10/2020, e “enquanto perdurar o ambiente excepcionalmente adverso exacerbado pela pandemia de COVID-19”, o Banco Nacional de Angola garante que vai continuar a desenvolver “acções ponderadas” que estimulam o crédito ao sector real da economia, de modo a promover o aumento da oferta de bens e, por essa via, a manutenção da estabilidade de preços na economia nacional.

Bernardo Pires

Bernardo Pires

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.