COA defende-se e alega que Neide Dias foi incapaz de alcançar os mínimos olímpicos

O Comité Olímpico Angolano (COA), liderado por Gustavo da Conceição, defendeu-se, nesta quinta-feira, 15, contrariando a versão veiculada na imprensa angolana pela fundista Neide Dias sobre a sua não inscrição aos Jogos Olímpicos de Tóquio, que arrancam no próximo dia 23 do corrente mês.

Segundo um documento em posse deste jornal, o Comité Olímpico afirma que Neide Dias reivindica por uma vaga aos jogos “sem ter conseguido alcançar os mínimos olímpicos exigidos pelo Comité Olímpico Internacional (COI)”.

“A atleta Neide não se apurou aos Jogos Olímpicos. O apuramento das atletas é feito através da obtenção de mínimos olímpicos, classificação não conseguida pela atleta que reivindica a sua não inscrição”, lê-se no documento do COA, que esclarece ainda: “Não tendo conseguido os mínimos olímpicos, a atleta pode ser convidada a participar dos referidos jogos, convite este que depende exclusivamente da Federação Internacional de Atletismo”.

O COA rebateu a afirmação segundo a qual a atleta “não foi inscrita aos jogos”, alegando não corresponder à verdade tal acusação. “A Neide foi inscrita provisoriamente, devido à falta de passaporte actualizado e outras informações existentes até à data. Em Março último, o número 1429402 foi-lhe atribuído pelo Comité Olímpico Internacional”.

“A Federação Internacional de Atletismo, à semelhança da Federação Internacional de Natação, quando convida atletas, fá-lo preferencialmente àqueles que competem em distâncias mais curtas, onde se nota menos desnível entre os fundistas de topo e os demais sem mínimos olímpicos. No caso de Neide Dias, que compete nos 1500 metros, foi preterida pela federação internacional, em detrimento do atleta Aveni Reid, dos 100 metros”, esclarece o documento do COI.

A polémica de Neide sobre a não ida da fundista ao maior palco desportivo mundial instalou-se na última segunda-feira, 12, no programa “Prolongamento”, da TV Zimbo, quando a fundista acusou a Federação Angolana de Atletismo de ser a única culpada pela sua não inscrição aos jogos de Tóquio.

Em reacção às acusações de Neide Dias, o presidente da FAA, Bernardo João, em contacto telefónico com o !STO É NOTÍCIA, considerou “injusta” a posição da atleta, pelo facto de a instituição, desde o Janeiro, ter-se batido para que a mesma conseguisse em tempo útil a renovação do passaporte”.

Sobre o suposto atraso na entrega do passaporte, o responsável da federação afirmou que, apesar de o mesmo ter saído com antecedência, a atleta Neide Dias “não teve tempo de levantar o mesmo no nosso consulado em Paris, alegando barreiras do seu treinador no centro de alto rendimento”.

Avatar

Isto é Notícia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *