BAI conserva activos de 3 biliões kz e mantém posição hegemónica à frente do BFA e do BIC

O Banco Angolano de Investimentos (BAI) reafirmou a sua liderança no terceiro trimestre deste ano entre os três maiores bancos de Angola, com a conservação dos seus activos num montante de três biliões de kwanzas, deixando para trás o Banco de Fomento Angola (BFA), que terminou o período nos 2,7 biliões, e o Banco BIC, nos 1,9 bilhões de kwanzas.

Depois de liderar, também, no segundo trimestre deste ano, com o valor de activos a atingirem os 3.118.150.587.000 (três biliões, cento e dezoito mil milhões, cento e cinquenta milhões e quinhentos e oitenta e sete mil kwanzas), o BAI registou, no terceiro trimestre de 2021, uma queda de 113,8 mil milhões para 3.004.274.344.000 (três biliões, quatro mil milhões, duzentos e setenta e quatro mil e trezentos e quarenta e quatro mil).

Os dados constam dos balancetes recentemente publicados dos respectivos bancos. O BAI, no período em referência, investiu 1,2 biliões de kwanzas em Títulos e Valores Mobiliários. Na mesma linha dos documentos contabilísticos, o BFA reduziu o investimento em dívida pública em 8%, passando de 1,3 biliões, no segundo trimestre, para 1,19 biliões, no terceiro trimestre.

Um outro banco que investiu menos em dívida pública foi o BIC, com um registo de cerca de 673,7 mil milhões de kwanzas contra os 792,4 mil milhões do trimestre anterior, representando uma queda de 14%.

Em termos de créditos concedidos a clientes, o BIC chegou-se à frente dos seus concorrentes, com cerca de 640,8 mil milhões kwanzas desembolsados, face aos 356,6 mil milhões do BAI e os 338,4 mil milhões de kwanzas do BFA.

Jaime Tabo

Jaime Tabo

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *