Isto É Notícia

Aníbal Simões vence a edição especial do Prémio Literário ‘Sagrada Esperança’ com a obra ‘Memórias de uma Kuvale’

Partilhar conteúdo

O escritor angolano Aníbal Simões é o vencedor da edição especial do Prémio Literário ‘Sagrada Esperança’ 2022, com a obra ‘Memórias de uma Kuvale’, em homenagem ao centenário de Agostinho Neto, no valor de sete milhões e quinhentos mil kwanzas.

A organização do prémio referiu, em comunicado, que se trata de uma obra cuja “construção narrativa e planos de imagens foram bem elaborados, manifestando a riqueza no labor estético e na elaboração da dimensão sociocultural, tratando-se de uma obra de ficção que recusa o carácter estático oral e os rituais ancestrais, tolerando uma visão dinâmica das chamadas comunidades rurais ou tradicionais”.

O concurso, de iniciativa do Ministério da Cultura Turismo e Ambiente, através do Instituto Nacional da Indústrias Culturais e Criativas (INIC), visa promover e perpetuar o legado literário de Agostinho Neto e dos valores humanos, sociais e culturais, bem como incentivar a criação literária entre os autores nacionais e desencadear, de forma sistemática, uma nova vaga de legitimação discursiva para o conhecimento e consolidação da unidade nacional.

Aníbal João Ribeiro Simões nasceu na aldeia de Chileume, município de Bailundo, Huambo, aos 28 de Janeiro de 1955, tendo completado os seus estudos na sua cidade natal. No fim da década de 1970, estabeleceu a sua residência no Lubango. Apesar de ter iniciado os seus estudos universitários em Filologia Germânica, licenciou-se em Psicologia pela Universidade Agostinho Neto, em Angola, onde exerceu o cargo de docente, nessa mesma área.

Em 1990, foi para Portugal preparar o doutoramento em Psicologia da Educação, na Universidade do Minho. É docente e pesquisador no Instituto Superior de Ciências da Educação da Huíla.

Para além da docência e investigação, é escritor e membro da União dos Escritores Angolanos (UEA). Tendo como pseudónimo Cikakata Mbalundu, publicou as seguintes obras literárias: Cipembúwa (menção honrosa do Prémio Sonangol de Literatura, 1986); O Feitiço da Rama de Abóbora (Prémio Sonangol de Literatura, 1991); Entre a Morte e a Luz (2002), a Clave da Insatisfação (2013), e, mais recentemente, a obra Memórias de uma Kuvale (Prémio Sagrada Esperança 2022).

A obra ‘O Feitiço da Rama de Abóbora’ faz parte dos 11 Clássicos da Literatura Angolana de 2015.

ISTO É NOTICIA

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *