Angola vai gastar 18 mil milhões de dólares com prestações de serviços no sector petrolífero este ano, revela CEO da PetroAngola

O fundador e CEO da PetroAngola, empresa nacional especializada em análise e pesquisas no sector petrolífero, Patrício Quingongo, avançou nesta sexta-feira, 10, que o país projecta gastar neste ano cerca de 18 mil milhões de dólares norte-americanos com pagamento de prestações de serviços no sector petrolífero.

“Na área de prestação de serviço nós [Angola] estamos muito abaixo. Este ano está previsto em gastos de bens e serviços na indústria de petróleo e gás cerca de 18 mil milhões de dólares. Deste valor, apenas 3% fica aqui na economia do país”, revelou o CEO da maior empresa angolana especializada em pesquisas petrolíferas e seus derivados.

Segundo o especialista, este montante representa uma grande perda para a economia angolana, na medida em que “o maior bolo da indústria petrolífera está nestas receitas que se gasta com a prestação de bens e serviços”.

“Este ano prevê-se uma arrecadação de receitas para o Estado em torno dos 15 mil milhões de dólares. O preço está alto, mas, ainda assim, o gasto com bens e serviços está acima, em torno dos USD 18 mil milhões”, considerou.

Patrício Quingongo defende que as empresas nacionais devem prestar mais serviços no sector petrolífero, de modo a “reduzir a expatriação das receitas nacionais e potencializar o mercado local”.

O especialista afirmou que, até ao momento, desconhece-se o número total de empresas prestadoras de serviços ligadas ao sector petrolífero em Angola.

“Hoje o número de empresas que prestam serviços no sector petrolífero é desconhecido. Desconhece-se o número de empresas e também a capacidade que estas têm. Desconhece-se porque não temos informações credíveis e sólidas sobre estas empresas”, enfatizou.

Avatar

Isto É Notícia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.