“Angola não precisa de dirigentes com discursos arrogantes”, defende bispo Dom Tirso Blanco

“Angola não precisa de dirigentes com discursos arrogantes, preocupados apenas com o seu bem-estar e com as suas cadeiras, mas de líderes sensíveis ao sofrimento do próximo”. A afirmação é do bispo da Diocese do Moxico, Dom Jesus Tirso Blanco, proferidas durante a última missa dominical, quando falava sobre a pobreza extrema que assola as populações da província.

O clérigo católico apelou à união e falou sobre a importância da mesma para a dissolução das situações e pacificação social. “Não é momento para criar divisões. Precisamos de unir forças para resolvermos os nossos problemas. É importante estarmos próximo sobretudo de quem sofre”, aconselhou o bispo, sublinhando “a necessidade de sermos um só povo”.

Na sua homilia, dom Tirso Blanco lamentou “as condições sociais degradantes” em que vivem as populações da província leste do país, enfatizando a falta de vias de comunicação, que considerou como factor de desenvolvimento de uma sociedade.

“Durante este último mês, pude percorrer as nossas estradas até ao litoral, e constatei que, embora haja muita miséria, estão a reparar as estradas, mas nós aqui não. Logo, não vejo sequer a possibilidade de superar esta pobreza. Que desigualdade!”, deplorou.

Por outro lado, o bispo da Diocese do Moxico acredita que o trabalho do pastorado também envolve a preocupação com as questões políticas e sociais que afligem o cidadão, e lamentou o facto de “muitos pensarem que estas questões não fazem parte da vida religiosa”. “Meus irmãos, isto sim é parte da nossa missão religiosa”, pontuou.

De recordar que na passada quarta-feira, 14, o primeiro secretário provincial do MPLA em Luanda, Bento Joaquim Sebastião Francisco Bento, reuniu-se com vários líderes religiosos, com destaque para o arcebispo metropolitano de Luanda, Dom Filomeno Vieira Dias, com os quais abordou questões relacionadas com a actual realidade do país e o contributo das igrejas na resolução das várias situações que envolvem a sociedade.

Edna Dias

Edna Dias

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *