Angola encaixou 27,87 mil milhões de dólares em receitas petrolíferas em 2021

O sector petrolífero angolano exportou 394,22 milhões de barris de petróleo bruto em 2021, comercializados ao preço médio de 70,7 dólares por barril, obtendo uma receita bruta de 27,87 mil milhões de dólares norte-americanos. A informação foi avançada, nesta quinta-feira, 17, pelo secretário de Estado para os Petróleos e Gás, José Barroso, quando falava à imprensa durante a apresentação da síntese do balanço das exportações de petróleo e gás natural referentes ao quarto trimestre de 2021.

A receita bruta arrecadada no ano passado representou, segundo o governante, um aumento de 51,4% comparativamente a 2020, não obstante o volume total exportado em 2021 ter sido inferior em 11,69%.

O Brent, referência das exportações angolanas, registou nos últimos três meses de 2021 o preço médio de 79,76 dólares por barril, tendo a Covid-19 e as decisões da OPEP+ (Organização dos Países Produtores de Petróleo) jogado capital influência nesse período.

Angola exportou um total de 98,9 milhões de barris de petróleo bruto no último trimestre de 2021, correspondendo a 1,7 milhões de barris por dia, o que resultou numa receita bruta de aproximadamente 7,83 mil milhões de dólares norte-americanos.

Os resultados das realizações da estatal angolana Sonangol e concessionária Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) foram apresentados pelo presidente da comissão executiva da Sonangol Comercialização Internacional (SONACI), Luís Manuel.

A Sonangol e ANPG comercializaram ambas, nesse período, cerca de 40 milhões de barris, representando uma diminuição de cerca de 3,8 milhões de barris quando comparado com os volumes exportados no terceiro trimestre de 2021.

Os dois organismos alcançaram uma receita bruta de cerca de 3 mil milhões de dólares norte-americanos, tendo um decréscimo de 45 milhões de dólares quando comparado com as receitas alcançadas no trimestre anterior.

Do volume total exportado no quarto trimestre de 2021, 24,59% pertence à ANPG, 15,79% à Sonangol e as restantes às companhias estrangeiras.

A China foi o principal destino do petróleo bruto angolano em Outubro, Novembro e Dezembro de 2021 com 61,57%, seguido da Índia (11,87%), Tailândia (4,9%), Gibraltar (2,52%) e da Itália, Espanha, Canada e África do Sul com 2,4% cada.

O gigante asiático foi também o principal destino do petróleo angolano em 2021 com 71,51%, do total das exportações, seguido da Índia com 7,02%.

Em relação ao gás natural, em 2021, as exportações angolanas totalizaram cerca de 4,48 milhões de toneladas métricas, valorizadas em aproximadamente 3,1 mil milhões de dólares.

José Barroso assinalou que a receita bruta arrecadada com as exportações do gás em 2021 “é quase três vezes superior a obtida em 2020, fruto do aumento dos preços no mercado internacional”.

O LNG, o gás butano e o gás propano foram maioritariamente exportados, em 2021, para a Ásia, enquanto os condensados foram exportados principalmente para os Estados Unidos da América.

*Texto Martinho Chivica/Com a Lusa

Avatar

Isto é Notícia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.