Isto é Notícia

1.º de Agosto abre as portas da sua imponente Cidade Desportiva a visitas guiadas

Partilhar conteúdo

A direcção do 1.º de Agosto procedeu, na última semana, à abertura pública de visitas guiadas à sua Cidade Desportiva — até então o maior projecto de infra-estruturas de formação no país afecto a um clube desportivo.

As visitas, que devem ocorrer sempre às quintas-feiras de cada semana, integrada por um número máximo de 60 elementos, entre sócios, adeptos e simpatizantes do clube fundado a 1 de Agosto de 1977, contará também com um outro modelo destinado a altas patentes das Forças Armadas Angolanas (FAA), do qual o clube é oriundo.

A nível individual, apesar de terem já visitado centenas de cidadãos, na última semana, o destaque recaiu para a presença do ex-procurador-geral da República João Maria de Sousa.

Na última quarta-feira, 18, foi a vez do secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA), Teixeira Cândido, também ele sócio do clube, que, impressionado e convencido com o que viu, ousou afirmar que, nos próximos 20 anos, não vê um clube nacional que possa objectivamente fazer uma aposta numa infra-estrutura desportiva com aquela dimensão.

“É a primeira vez que venho para esta cidade desportiva, mas já tinha noção do trabalho que está a ser feito pelo Clube Desportivo 1.º de Agosto. Sou sócio do clube, e aquando da primeira eleição do general Carlos Hendrick, fui das pessoas que se opôs, não porque não quisesse, mas porque entendi que não podia, na altura, haver um único candidato à presidência do 1.º de Agosto”, começou por salientar Teixeira Cândido, puxando da sua memória momentos vividos no calor do clube.

“Lembro-me que havia a intenção de o mais-velho Ambrósio Narciso poder candidatar-se. Dois anos após a eleição do actual líder do clube, tão-logo vi o trabalho que estava a ser desenvolvido, fui retratar-me e pedir desculpas ao general Carlos Hendrick”, recordou Teixeira Cândido, quando falava à Rádio D’Agosto, logo após a visita guiada.

Sobre a polémica à volta da gestão dos dinheiros colocados à disposição da actual direcção do clube, Teixeira Cândido é de opinião que, se “fossem entregues em outras mãos, seguramente [o 1.º de Agosto] não teria as infra-estruturas que tem hoje”.

“Olhem para aquilo que tem o Petro de Luanda, vasculhemos os orçamentos de que foi beneficiando e comparem as estruturas! No Petro, que é patrocinado pela Sonangol, só conhecemos a sede e o Catetão”, argumentou o sócio do clube.

A respeito da alegada campanha difamatória nas redes sociais contra o clube, Teixeira Cândido aconselhou os sócios e adeptos a unirem esforços em torno do general Carlos Hendrick, que, na sua opinião, “fez e está a fazer as coisas”.

“Este dinheiro podia ter caído na mão de outras pessoas, que não teriam feito estas infra-estruturas. Falo do Petro, do Interclube e de todos outros que tiveram milhões, mas não têm nem a metade do que o 1.º Agosto hoje ostenta. O clube tem condições de trabalho”, vincou.

Fala-se numa suposta campanha nas redes sociais contra o clube, sobre o tema o Teixeira também falou, apesar de admitir que não tinha muitos elementos, mas que lhe parecia que a pretensão era afastar o presidente do 1.º de Agosto.

“A questão é bem clara. É como digo: eu não tenho muitos elementos, mas independentemente de tudo, ainda que o presidente Carlos Hendrick seja pecador, eu estou com ele incondicionalmente”, afirmou Teixeira Cândido à rádio do clube, recomendando que sejam convidadas figuras internacionais a visitar a Cidade Desportiva, que estas sairão de lá com uma grande impressão do clube.

Comboio de visitas

No dia 20 foi a vez de um grupo de sócios do clube composto por 25 elementos, que escreveram à direcção do clube. Entre os membros da caravana constava a jornalista Kinna Santos, da Rádio Nacional de Angola, que, no final da visita, elogiou também o investimento.

No encontro desta sexta-feira, 20, após término da visita, Kinna Santos reconheceu as dificuldades sentidas na actual época desportiva, não tendo o clube produzido resultados positivos, mas lembrou que saiu Cidade Desportiva mais esclarecida sobre o projecto-futuro do clube.

“Não vamos esquecer o que vimos aqui dentro. Temos como defender, daqui para frente, os investimentos, as apostas e as escolhas”, disse a jornalista e sócia do 1.º de Agosto.

Kinna Santos afirmou ter ficado comovida com as histórias de alguns jovens do ‘Internato 4 de Abril’, muitos recuperados das ruas e levados para a academia, uns pelo talento e outros nem tanto.

“Independentemente destes [jovens] terem talento ou não, o clube e a Cidade Desportiva estão socialmente apostados em darem algum apoio. Isso deixou-nos completamente sossegados. Esta visita, enquanto sócios, adeptos e fãs acabou por nos dar outras tarefas”, salientou a jornalista Kinna Santos.

A jornalista desafiou outros clubes nacionais a fazerem metade do investimento feito pelo 1.º de Agosto em pouco menos de dez anos.

Recorde-se que o bruto investimento do 1.º de Agosto começou a ser executado ao longo do mandado de Carlos Hendrick, após ter substituído o seu irmão Raul Hendrick.

Quem também saiu regozijado com o que constatou na manhã da última sexta-feira, 20, foi o presidente de direcção da Federação Angolana de Natação (FAN), Joaquim Santos, recebido antes do grupo de 25 integrantes.

“A Cidade Desportiva é um mundo dentro destes muros que o pessoal não vê de fora. Foi possível fazer estas obras com liderança forte, com objectivos claros e bem definidos”, manifestou Joaquim Santos, à saída de um encontro com a direcção do 1.º de Agosto, que, até à conclusão das obras da Cidade Desportiva, irá construir uma piscina olímpica para a natação.

Este portal sabe que estão na lista de espera para o programa de visitas mais de cinco mil sócios e adeptos, só de Luanda.

Constam do programa de visitas guiadas à Cidade Desportiva o estádio França Ndalu, com a capacidade para 20 mil espectadores, cuja conclusão está para os próximos tempos; o pavilhão Paulo Bunze para o andebol; pavilhão Gustavo da Conceição; o complexo residencial Dani Massunguna; dois ginásios; dois pavilhões de basquetebol de alto nível; centro de performance; clínica dentária; uma estação de rádio do clube; o campo anexo ao França Ndalu de relva natural e o campo Daniel Ndunguidi; escritórios; o Internato 4 de Abril, o internato de basquetebol (feminino e masculino) e o internato de andebol.

Isto É Notícia

Related post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *